sexta-feira, 28 de novembro de 2014

KAMA-SUTRA...





... e haverá melhor forma
 de começar o Fim de Semana??  :))


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

EM CATALÃO, SAUDADE ESCREVE-SE ASSIM...



Foto de Alisa Verner




Se falo dos teus olhos

Se falo dos teus olhos, em mim ecoam
cadeirinhas de junco e um ocaso de pombos.
Os teus olhos, tão intensos como um grito na escuridão.

Se falo dos teus lábios, em mim ecoam
profundíssimas grutas e ritmos de preguiça.
Os teus lábios, tão próximos como a noite.

Se falo do teu cabelo, em mim ecoam
praias desconhecidas e quietudes de igreja.
O teu cabelo, como a espuma do vento.

Se falo das tuas mãos, em mim ecoam
maracotões suavíssimos e odor de roupa antiga.
As tuas mãos, tão leves como um suspiro.

Se falo do teu corpo,
do teu corpo que amei,
só ecoa em mim a minha voz,
e então fecho avaramente os olhos
e digo, para mim só, o segredo dos caminhos
que lentamente segui através do teu corpo
tão cálido como a luz,
tão denso como o silêncio.


Miquel Martí i Pol (poeta catalão)


"roubado" DAQUI

terça-feira, 25 de novembro de 2014

DESAFIO SEM DESAFINAÇÕES...


Costumo dizer que eu não vivo sem música... e não o digo só da boca para fora!
Por isso estou adorar participar no Desafio Musical que o nosso amigo Ricardo Santos está a promover lá no seu PACTO PORTUGUÊS.

Querem fazer-me companhia??




sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CAÇADOR DE SÓIS...






VOTOS DE UM FIM DE SEMANA CHEIO DE SOL...
(... no coração )

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

ESTRELA DA TARDE...


Foto DAQUI


"Meu Amor, Meu Amor,
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça
  E o meu corpo te guarde..."



a ouvir... 

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

CANÇÃO DE MADRUGAR...





«Sei meu amor inventado que um dia
Teu corpo há-de acender
Uma fogueira de sol e de furia
Que nos verá nascer...»

Ary dos Santos

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

MULHER MADURA...


Foto de Victor Melo


«O rosto da mulher madura entrou na moldura de meus olhos.
Há uma serenidade nos seus gestos, longe dos desperdícios da adolescência.
A mulher madura nada no tempo e flui com a serenidade de um peixe. O silêncio em torno de seus gestos tem algo do repouso da garça sobre o lago. Seu olhar sobre os objetos não é de gula ou de concupiscência. Seus olhos não violam as coisas, mas as envolvem ternamente.

A mulher madura é assim: tem algo de orquídea que brota exclusiva de um tronco, inteira. Não é um canteiro de margaridas jovens tagarelando nas manhãs.
A adolescente, com o brilho de seus cabelos, com essa irradiação que vem dos dentes e dos olhos, nos extasia. Mas a mulher madura tem um som de adágio em suas formas. E até no gozo ela soa com a profundidade de um violoncelo e a sutileza de um oboé sobre a campina do leito.

A boca da mulher madura tem uma indizível sabedoria. Ela chorou na madrugada e abriu-se em opaco espanto. Ela conheceu a traição e ela mesma saiu sozinha para se deixar invadir pela dimensão de outros corpos.

O corpo da mulher madura é um corpo que já tem história. Inscrições se fizeram em sua superfície. Seu corpo não é como na adolescência uma pura e agreste possibilidade. Ela conhece seus mecanismos, apalpa suas mensagens, descodifica as ameaças numa intimidade respeitosa.
Cada idade tem seu esplendor. É um equívoco pensá-lo apenas como um relâmpago de juventude, um brilho de raquetes e pernas sobre as praias do tempo. Cada idade tem seu brilho e é preciso que cada um descubra o fulgor do próprio corpo.»


Excerto de um pensamento de Affonso Romano de Sant'Anna



segunda-feira, 10 de novembro de 2014

THE ENDLESS RIVER...



E no dia do seu lançamento oficial...





... este já toca cá em casa  :)


A ouvir... «Louder than words»

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

TANGO... "SENTIMIENTOS"...


BOM FIM DE SEMANA...



...con mucho sentimiento! :)


terça-feira, 4 de novembro de 2014

OFERENDA...



Foto de Dean Agar


  Osculando a minha pele em todos os recantos
  Fecundas o meu desejo ardente e profundo
  Enleas os nossos corpos e as nossas almas
  Recebes de mim tudo o que intimamente sou
  Em OFERENDA, numa cerimónia íntima e só nossa
  Nascida da nossa vontade suprema
  Dádiva terrena digna dos Deuses do Amor
  A oblação mais pura, a mais bela prenda.



a ouvir...